Dicas de segurança para lojistas

Dicas de segurança para lojistas

Todo empreendedor sabe que para ter uma clientela fiel não basta ter uma loja e um produto de qualidade.

Todo lojista sabe o quanto as lojas são vulneráveis, principalmente durante a noite.

O número de assaltos a comércios é muito maior do que os ataques às casas ou pessoas desprotegidas.

Isso porque as lojas têm apenas um horário de funcionamento e passam o restante do dia sem ninguém no local.

Por isso é preciso se proteger para que sua loja não se torne mais um número nas estatísticas.

Embora esse risco esteja sempre presente nos comércios de todo o Brasil, medidas simples podem inibir a ação dos bandidos.

Invista em câmeras de segurança:

Mesmo que possa parecer um exagero, as câmeras de segurança são responsáveis por inibir a ação dos bandidos.

Mas apenas as câmeras podem não ser suficiente, por isso também é indicado um alarme de som.

Ao ser ativado o barulho só é desligado na presença de um responsável pelo local, isso assusta e afasta ladrões.

Se puder, também é válido contratar uma empresa de segurança particular, assim eles ficam responsáveis por resolver qualquer problema.

E se não puder contratar a empresa, esteja sempre preparado para atender ao alarme, mesmo de madrugada.

Mas lembre-se, nunca confronte o meliante, se notar a presença de um estranho na loja ligue imediatamente para a polícia.

Mantenha a iluminação durante a noite:

Outra maneira bem eficaz de inibir a entrada de ladrões e manter a loja bem iluminada durante a noite.

A luz possibilita uma melhor visualização do interior e isso permite que qualquer pessoa de fora reconheça uma presença estranha.

Além disso, as luzes deixam a dúvida se o lugar está apenas iluminado ou se tem alguém ainda na loja.

A maioria dos assaltantes preferem lugares onde não seja necessário qualquer tipo de confronto.

Quanto mais vazio um lugar melhor, menores são as chances de ser reconhecido ou pego pela polícia.

As luzes acessas durante a noite podem representar um pequeno aumento nos gastos, mas são bem eficazes.

Tenha contato das lojas ao seu redor:

Uma maneira bem eficiente e sem custo de manter a segurança da sua loja é mantendo contato com lojas vizinhas.

Crie uma rede de contato assim todos ficam sabendo o horário de funcionamento e a rotina das lojas.

Isso ajuda no controle da movimentação, em caso de atos estranhos na loja os outros lojistas te informam a ação.

Com isso tudo mundo sai ganhando e não precisa ter gastos, basta a colaboração de todos.

Se sua loja estiver em uma área mais residencial também vale o acordo com os moradores.

Ter o contato de um morador é ainda melhor já que ele está por perto quando as lojas estão fechadas.

Converse com os vizinhos para que todos possam tomar medidas a partir da ideia de todos.

Crie rotinas e processos de entrada e saída:

Horários de entrada e saída são bem visadas. O abre e fechas dos portões para entrada um a um dos funcionários pode ser uma falha da segurança.

Uma dica interessante é combinar que todos entrem e saiam ao mesmo tempo. E sempre deixando uma pessoa da equipe (em escala de revezamento) do outro lado da calçada com o celular na mão pronto para informar alguém.

Não deixe grandes quantias de dinheiro na loja:

Evite ao máximo deixar grandes quantias de dinheiro na loja.

De preferência faça todos os pagamentos por meio de transferências, desde pagamento de funcionários, contas da loja e fornecedores.

Assim não há a necessidade de retirar o dinheiro do banco e a segurança se torna muito maior.

Ladrões costumam observar a rotina de um comércio antes de realizar um assalto e sempre sabem os dias de pagamento.

Quando tudo é feito por meios digitais não há maneira de encontrar e reconhecer sua rotina financeira.

Mesmo que aconteça uma invasão a sua loja o ladrão não terá acesso ao seu dinheiro.

Se a movimentação em dinheiro em sua loja for muito grande vale até pensar em investir em segurança privada.

OU até mesmo empresas de transporte de dinheiro que fazem a escolta e evitam os casos de assaltos.

Faça transporte de dinheiro em dias e horários diferentes:

Um dos principais meios para saber quando assaltar uma loja é acompanhar a rotina da loja.

Para isso eles observam a movimentação financeira, a hora e o caminho usado para retirar o dinheiro da loja.

Por isso, uma maneira de conseguir driblar essa observação é ter rotas alternativas, sair em dias e também horários diferentes.

Se possível escolha até carro e pessoas diferentes para fazer o transporte do dinheiro, mas sempre pessoas de confiança.

Cuidado com golpes online:

Hoje os lojistas também precisam se preocupar com a segurança online, principalmente dos dados dos clientes.

É preciso ter muito cuidado com os dados que são guardados em seu computador e online.

Para isso deixe armazenado apenas dados indispensáveis, como o contato dos clientes. Evite guardar dados mais pessoais.

No computador faça uso de antivírus e aplicativos de segurança dos bancos, além de escolher sempre senhas mais difíceis e não acessar sites duvidosos.

Crie um código de segurança interno:

O código interno de segurança é sempre uma saída interessante para deixar todos na loja de olho na movimentação.

Um bom código de segurança pode ser uma frase ou mesmo uma pergunta. Assim, sempre que algum funcionário desconfiar de alguém, essa frase é dita e TODOS ficam em alerta.

Medidas simples são capazes de evitar problemas maiores para sua empresa, mesmo que nunca seja necessário é sempre melhor prevenir.

Todo empreendedor sabe que para ter uma clientela fiel não basta ter uma loja e um produto de qualidade.

É preciso pensar além e proporcionar aos clientes a melhor experiência possível.

Cada vez mais os clientes têm se tornado mais exigentes e procuram por lojas onde são bem tratados.

Atenção, educação, boa receptividade e ter sua necessidade atendida, são as principais características buscadas pelos clientes.

É essa experiência que vai determinar se ele voltará a realizar negócios com você ou não.

O problema é que esse cliente não demonstra a insatisfação na hora, ele apenas não retorna para futuras compras.

Mas, além de não voltar ele divulga para as pessoas próximas o tipo de tratamento que recebeu.

Então como saber se o problema com o meu comércio está relacionado com o tipo de atendimento que tenho prestado?

Para te ajudar com essa questão selecionamos aqui os erros mais comuns de todo comerciante.

Principais erros no atendimento ao cliente:

  • Não conhecer o produto:

É muito comum encontrar comerciantes que não conhecem bem o produto que vendem, como se o produto fosse se vender sozinho, ao ser questionado pelo cliente o vendedor muitas vezes acaba mentindo para parecer que conhece sobre o assunto.

  • Não dar atenção ao desejo do cliente:

Outro erro grotesco é se preocupar mais em fechar a venda do que em atender as necessidades do cliente, tentando vender um produto mais caro é possível que você perca um cliente.

  • Oferecer experiências ultrapassadas:

Não atualizar as tecnologias do seu comércio pode ser o motivo de não estar vendendo tanto. Como por exemplo, não disponibilizar pagamento por cartão de crédito.

  • Não se preocupar com o pós-venda:

Muitos comerciantes se preocupam apenas com o momento da venda, mas se esquecem de criar um vínculo para que esse cliente retorne mais vezes.

Se você se identificou com as situações relatadas deve estar agora se perguntando como mudar a situação.

Para te ajudar nisso separamos:

4 dicas que como melhorar seu atendimento ao cliente.

01. Cuidado com a sua aparência e o modo de se expressar

A maneira como você se apresenta é determinante para formar a primeira impressão do cliente com relação à sua empresa.

Sua apresentação pessoal diz muito sobre o seu negócio, por isso é preciso se preocupar com a aparência no trabalho, sua e de sua equipe.

Quando falamos em aparência, não entenda exclusivamente como roupas ou uniformes. Corte de cabelo, maquiagem adequada, unhas bem-feitas… tudo isso conta ponto.

Mas além de se preocupar com as roupas e aparência é preciso se preocupar também com a linguagem utilizada no seu comércio.

Isso não quer dizer que você precisa usar uma linguagem formal, apenas é necessário ter cuidado para não usar gírias nem parecer íntimo demais. Fale com naturalidade.

02. Estude os produtos comercializados

Ter domínio sobre um assunto é um grande diferencial na hora de convencer o cliente a realizar a compra.

Hoje a maioria dos clientes já chegam nas lojas conhecendo tudo sobre o produto que procuram.

Normalmente o comprador já fez sua própria busca na internet e já sabe o que deseja comprar.

Isso exige que o comerciante busque mais conhecimento para que as dúvidas do cliente possam ser esclarecidas.

Quando o vendedor demonstra domínio sobre um assunto o cliente se sente mais confiante em realizar a compra.

Mas, o cliente também se sente confortável para voltar em futuras oportunidades pois encontra no vendedor uma autoridade no assunto.

Tudo isso contribui para que o cliente não apenas realize a compra, mas se torne fiel ao seu comércio.

03. Pense no pós-venda

Nunca foque somente naquela venda, solicite ao cliente um contato para que você possa mantê-lo informá-lo sobre as novidades.

As redes sociais são ideais para essa comunicação, elas criam uma relação entre cliente e empresa.

O cliente dá sinais de quando deseja conhecer as novidades e quando entrar em contato novamente.

Caso não tenha redes sociais, vale também ter o número de celular do cliente para enviar mensagens com as novidades.

Se você ainda não investiu em redes sociais comece a pensar no assunto, essa é uma ótima oportunidade de divulgação.

O importante aqui é lembrar ao seu cliente sobre sua loja, para que quando precisar ele se lembre de você.

04. Preocupe-se em atender o cliente

Nunca cometa o erro de tentar vender algo que o cliente não precisa, muito cuidado com essa prática.

Sempre encontramos vendedores tentando vender algo a mais do que o cliente estava procurando inicialmente.

Isso é normal, mas existe uma diferença entre oferecer um produto adicional e tentar enganar o cliente.

Primeiro é preciso atender a necessidade relatada pelo cliente, conhecer o que ele deseja e aí apresentar suas opções, mesmo que sejam produtos além do inicialmente solicitado pelo cliente.

Não tente vender opções mais caras apenas pensando no lucro, você ganha aquela venda, mas perde um cliente.

Traga também outras opções melhores, mesmo que estejam um pouco acima do orçamento inicial. Mas nunca de forma a constranger e sempre deixando o cliente muito a vontade para aceitar a oferta ou não.

Isso transmite ao cliente a certeza de que seu objetivo é apenas atender a sua necessidade.

A insistência pode constranger e até irritar seu comprador e fazer com que desista da compra.

Todas essas dicas são para que você tenha não apenas um aumento nas vendas, mas para que também possa fidelizar seus clientes.

Deixe uma resposta